Influência dos Hábitos Bucais Nocivos no Crescimento Facial

O bebé depende da função bucal para sobreviver. É através da boca que irá se alimentar, e, aos poucos, explorar dedos, mãos, objetos.

Após a sucção e a deglutição, que são impulsos naturais, o bebé irá desenvolver outras funções bucais, como a mastigação e a fonação. A realização correta destas funções está diretamente relacionada a um crescimento facial equilibrado.

Entretanto, nesta fase, as crianças adquirem outros hábitos, chamados hábitos bucais nocivos. Estes poderão interferir com o equilíbio oral muscular e exercer forças indesejáveis sobre os dentes e estruturas alveolares. A severidade das consequências está diretamente relacionada à frequência, duração e intensidade dos maus hábitos orais.

São considerados maus hábitos: chuchar a chucha, chuchar o dedo, respiração bucal, deglutição atípica com interposição lingual, postura inadequada da língua, bruxismo (ranger os dentes), onicofagia (roer as unhas).

Os médicos-dentistas, odontopediatras e pediatras têm razões muito fortes para se preocupar com os hábitos bucais de seus doentes, porque a região bucal é muito importante para a criança sob vários aspectos, como a estética, a função mastigatória e a fala.

É claro que cada caso é um caso. Os pais conseguem fazer com que a criança deixe de usar a chucha (nem sempre tão fácil!), mas a correção da postura inadequada da língua já precisa de um aconselhamento médico.

Os hábitos devem ser bem analisados em cada criança.IMENTO FACIAL